sexta-feira, 30 de maio de 2014

Mousse de Chocolate com Natas e Bolacha


Nas últimas semanas a minha vida tem sido um brotar de contratempos. Muitas preocupações, muitas sensações à flor da pele, uma única personagem destinada a atormentar-me. Mas o que é isso no meio de tantas outras pessoas que me querem bem, que demonstram dia após dia que se se preocupam comigo e que estão cá por mim? Agora, mais do que nunca, acredito na expressão que tantas vezes utilizei para confortar o próximo "Se Deus nos coloca os problemas nas mãos, é porque temos capacidade para os resolver". E eu, tenho conseguido dar a volta por cima.

Tenho 3 filhos maravilhosos que são o meu pilar, eu e eles temos pela frente tantos e bons momentos para viver... 1 + 3 = 4... um número maravilhoso! Porque a vida é mesmo assim, dá muitas voltas quando menos esperamos. E muitas dessas voltas, por vezes, são um abre olhos. Eu abri os meus, ainda muito a tempo de ser feliz. A vida é assim, uma mistura de emoções e de realidades.


Assim como esta Mousse, uma mistura entre o preto e o branco. Entre o amargo do chocolate e a suavidade do chantilly. Já a faço há cerca de 3 ou 4 anos e, sem saber bem como, nunca a fotografei ou sequer partilhei. Erro meu. Esta Mousse é maravilhosa, não há festa de Aniversário de filho meu que não a tenha como destaque. E é tão, mas tão rápida que podem fazê-la e comer logo de seguida. Mas, claro, também podem esperar e comê-la mais fresquinha e consistente.

Eu nunca fui grande apreciadora de Mousse de Chocolate. Só a comia se fosse carregada de chantilly. Por isso acho esta versão maravilhosa, ainda para mais com bolacha ralada entre cada camada. Não deixem de experimentar.


INGREDIENTES:

1 tablete chocolate culinária
150 g margarina
6 ovos
150 g açúcar
4 dl natas
1 pacote bolacha Maria

PREPARAÇÃO:

Cortar a tablete de chocolate em pedaços e levar a derreter no micro-ondas juntamente com a margarina. Quando estes ingredientes estiverem amolecidos envolvem-se bem. Misturar as gemas, mexendo bem entre cada adição para que não cozam. À parte bater as claras em castelo, juntar-lhes o açúcar e misturar ao preparado de chocolate.

Bater as natas em chantilly, se necessário adicionar algumas gotas de limão para que fiquem firmes mais rapidamente, e ralar as bolachas.

Com estes preparados feitos começa-se a montagem. Numa taça dispor um pouco de mousse, depois uma camada de bolacha, que serve para que a mousse não se misture com as natas. A seguir o chantilly todo [deixando apenas um pouco para decorar no final] e mais uma camada de bolacha. Terminar com a restante mousse, o pouco de chantilly reservado e decorar com um garfo. Está feita esta sobremesa fantástica.


domingo, 18 de maio de 2014

Pudins de Morango


Esta semana começou com uma sugestão, por parte da Ana do Recanto com Tempero, para fazer e partilhar a receita de um qualquer docinho com morangos. Veio na altura certa pois, também esta semana, o Lidl lançou uma super promoção para caixas de 2 Kg de morangos a um preço bastante apelativo.

Não fiquei indiferente a este convite, o qual agradeço, e aqui estou com a minha participação. Estas iniciativas requerem sempre atenção e entusiasmo da minha parte, onde se consegue facilmente juntar algumas pessoas com o mesmo gosto: cozinhar. A princípio pensei "mas o que posso eu fazer?" porque, se por um lado me vinha à ideia uma série de receitas com este fruto e que ficam sempre bem, por outro lado queria experimentar algo novo.

Então começo a folhear as minhas inúmeras revistas e dou de caras com estes pudinzinhos, tão formosos e tão fáceis de fazer.


INGREDIENTES:

5 folhas gelatina
300 g morangos
100 g açúcar
4 dl natas
Morangos q.b.

PREPARAÇÃO:

Demolhar as folhas de gelatina em água fria e deixar repousar cerca de 5 minutos. Lavar os morangos, retirar-lhes os pés e cortá-los em pedaços para um tacho. Adicionar o açúcar e levar a lume brando para cozinhar um pouco, mexendo de vez em quando.

Misturar as folhas de gelatina escorridas, mexendo para que se dissolvam. Triturar este preparado com a varinha. À parte bater as natas em chantilly. Misturar ambos os preparados, envolvendo bem e dispondo em taças. Levar ao frigorífico para que solidifiquem e, na hora de servir, decorar com morangos laminados.


De textura quase esponjosa e suave aroma a morango, são autênticos batidos de se comer à colher. Como alternativa poderão untar pequenas formas com óleo, preencher com o prepadado e, após algumas horas de frigorífico, poderão desenformar e servir, decorados com compota de morango.


domingo, 15 de dezembro de 2013

Bolachas Natalícias e um Passatempo


Estas bolachas são as que faço mais vezes cá em casa. São rápidas e muito fáceis, têm um delicioso aroma a limão e num ápice desaparecem da lata. Penso que isso é um óptimo sinal. A receita já a coloquei anteriormente. Resta-me acrescentar  que estas bolachinhas são muito versáteis, pelo que poderão substituir ou complementar o limão com outros ingredientes.


Se colocadas dentro de uma caixa ou lata, e carinhosamente decoradas com uma fita e um laçarote, dão um óptimo presente de Natal. Porque, na minha opinião, tudo o que é feito por nós tem outro significado. Podemos até, em algumas vezes, não atingir o resultado pretendido, mas o valor está lá.

Estas pequenas bolachas em forma de estrelas e decoradas com Açúcar Mascavado foram  feitas não só porque já batiam as saudades, mas também para participar num Passatempo da Piteca.

Consiste em fazer qualquer doce que tenha como tema o Natal. Aproveitem o link para visitar a página desta amiga e companheira de gosto pela cozinha, irão encontrar muitas receitas do mais prático que possa haver. Assim, aqui deixo a minha singela participação.


sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Bolo Colchão de Noiva II


Este bolo já tinha sido feito numa outra altura, mas merece bem um novo destaque. Primeiro porque é delicioso e muito fofo, depois porque a fotografia postada anteriormente não mostra a categoria de bolo que é. Além disso, e sendo que quando o fiz foi numa festa de Aniversário e a pressa imperou, não tive tempo de fazer esta cobertura e optei por um chantilly rápido.

De consistência macia e em muito idêntico ao Pão de Ló, remata na perfeição com a cobertura de sabor a baunilha. Aliás, este creme é tão bom que podem fazê-lo e servir em potes como uma sobremesa. As crianças, principalmente, irão gostar.


Desta forma agradeço a gentileza com que o Sr. José António da Suldouro prontamente me enviou uma caixa repleta com as suas especiarias. Quando vejo a carteira a chegar com uma caixa de cartão, só não dei pulinhos para manter a postura. Chegada a casa e conforme começo a tirar embalagem após embalagem, nem queria acreditar na generosidade e na quantidade de especiarias que teria agora para experimentar nas minhas comidas. E comecei logo pelo frasquinho de Açúcar Baunilhado neste bolo. Muito Obrigada!


INGREDIENTES PARA A MASSA:

6 ovos
250 g açúcar
1 colher sopa farinha
100 g fécula batata
1 colher chá fermento em pó
Sumo meio limão

INGREDIENTES PARA O CREME:

3 gemas
150 g açúcar
3 colheres sopa Maizena
1 colher sopa açúcar baunilhado Suldouro
1/2 l leite

PREPARAÇÃO:

Começar por bater as claras em castelo firme e nelas misturar o açúcar, as farinhas e o fermento, muito delicadamente e sem bater. Posteriormente adicionar as gemas e o sumo de limão. Levar ao forno médio, numa forma bem untada com margarina e polvilhada com farinha, entre 30 a 40 minutos. Deixar o bolo arrefecer dentro do forno e desenformar depois sobre um prato de servir.

Para fazer o creme devem juntar-se todos os ingredientes numa caçarola e levar a lume médio, mexendo sempre com uma vara de arames para que não se cole ao fundo. Barrar de seguida todo o bolo, cobrindo com coco ralado. Quem não for apreciador de coco poderá utilizar frutos secos ou deixar mesmo assim. De qualquer das formas fica maravilhoso.



sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Bolo Mármore - II



Estou doente, há muitos dias, e como eu detesto estar assim. O que começou com uma dor de costas devido a um Coli bacilo no rim direito deu entretanto lugar a uma espécie de sinusite. Segundo o raio X "a coisa" está mesmo feia e não admira as dores horríveis que eu tenho. Para terem uma ideia, estar de cabeça e corpo erguidos é impensável, mover os olhos para cima não consigo sem que comece a sentir picadas. Nunca eu pensei que um sol maravilhoso me pudesse afectar e fazer tanta confusão.

Resumindo, tenho de estar qual bicho do mato enfiada numa cama todo o dia e com luz o mais fraca possível. Nunca antes sequer imaginei que sinusite causasse estas dores horríveis. Está a levar-me ao desespero. O simples facto de estar sentada, mesmo que na cama, a escrever este post já me está a fazer contorcer.

E como eu detesto estar assim, doente e dependente. Quem me conhece sabe que sou uma pessoa muito activa, arranjo sempre qualquer coisa para fazer e estar ocupada. Quantas vezes dou agora comigo no decorrer do dia a olhar para as coisas e a pensar "tenho de aspirar", "tenho de passar a ferro", "tenho de arrumar a cozinha". Já por uma ou duas vezes me levantei, qual lampeira e cheia de ganas para arregaçar as mangas e dar uma volta à casa... mas rapidamente dou comigo a cair desconsolada na cama outra vez. Assim não dá mesmo.

Fiquei repentinamente privada até mesmo de ir levar e buscar os meus filhos ao infantário, de dar banho ao mais pequeno, de me sentar com as meninas e ajudá-las nos trabalhos da escola. E é isso que mais me entristece no meio de tudo isto, perder tempo e qualidade com o meus filhos. Eu bem quero recuperar rápido, tenho-me portando bem e tomado toda a medicação, mas não está a correr bem e ainda não avisto a luz ao fundo do túnel.


Esta receita foi feita já há algum tempo e aguardava pacientemente na lista para ser publicada. Ainda bem porque, com esta situação, já nem me recordo do dia em que me aventurei na cozinha. Tantas saudades.

É da Laranjinha e é o melhor Bolo Mármore que já tive a oportunidade de provar. Macio por dentro e crocante por fora, principalmente enquanto ainda morno, é maravilhoso.

INGREDIENTES:

150 g manteiga
200 g açúcar
4 ovos
200 g farinha
1 colher chá fermento em pó
125 g chocolate em pó

PREPARAÇÃO:


Bater a manteiga com o açúcar até se transformar um creme. Adicionar os ovos, um a um, e bater bem entre cada adição. Depois a farinha com o fermento e envolver tudo.

Dividir a massa em duas porções e, numa delas, misturar o chocolate em pó. Untar uma forma com margarina e polvilhar com farinha. Colocar a massa, intercalando entre ambas as cores, até terminar. Cozer em forno médio o tempo suficiente, fazendo o teste do palito. Saborear ainda morno com uma bebida quente neste tempo frio é o ideal.



Fonte: Cinco Quartos de Laranja

domingo, 10 de novembro de 2013

Fofinhos de Chouriço



Hoje trago a receita de uns mini queques que têm tudo o que se pretende: simples e rápidos de se fazer, económicos e muito saborosos. São presença assídua em todas as festas de Aniversário das minhas crianças, fazendo as delícias de pequenos e graúdos. Tira-se um, de tamanho perfeito para apenas uma ou duas dentadas, de seguida outro e rapidamente vão sendo deliciosamente devorados.

Os de chouriço são os nossos favoritos, mas há que dar asas à imaginação e escolher outros recheios. Poderão ser feitos em qualquer tamanho, mas os mini ficam tão "fofinhos" que se tornam imbatíveis.

INGREDIENTES:

1 chouriço [cerca 300 g]
4 ovos
3 chávenas chá farinha
2 colheres chá fermento em pó
Sal grosso q.b.
1/2 chávena chá manteiga derretida
2 chávenas chá leite

PREPARAÇÃO:

Cortar o chouriço em rodelas e reservar. Numa taça misturar os ovos inteiros, a farinha, o fermento e o sal, intercalando com a manteiga e o leite.

Verter este preparado para pequenas formas, enchendo quase até acima. Se forem de silicone, que é sem dúvida o mais prático, não é necessário untar nem polvilhar. Caso optem por formas de alumínio, então terão de o fazer.

Colocar uma a duas rodelas de chouriço em cada forma, dependendo do tamanho, e levar ao forno pré-aquecido a 180º C cerca de 20 minutos.


Fonte: Mesa para 4

sábado, 19 de outubro de 2013

Cinnamon Rolls ou Caracóis de Canela


Se vos disser que, no espaço de uma semana, fiz três vezes estes bolinhos, acreditem porque é puramente verdade. A primeira vez fiz a receio porque era a primeira vez que os fazia, apesar de já ver belíssimas fotografias a circular há anos. A segunda vez fiz porque a primeira soube a pouco. A terceira vez fiz porque as filhotas pediram para levar no lanche da escola. E eu claro, mesmo depois de um dia cansativo de trabalho, não nego um pedido das minhas meninas.

São deliciosamente fofos e macios, húmidos por dentro com um fantástico recheio de canela, não dá mesmo para comer só um e ficar a olhar. E fáceis, são tão fáceis. Eu tive a ajuda da minha máquina de fazer pão, que facilita em muito esta tarefa, mas quem não a tem pode utilizar a Bimby ou as mãos, são estas últimas o melhor utensílio que temos na cozinha.

INGREDIENTES PARA A MASSA:

120 ml leite
40 g manteiga
10 g fermento padeiro [ou meio cubo]
1 ovo
Extracto de baunilha q.b.
1 pitada de sal
30 g açúcar amarelo
300 g farinha T55

INGREDIENTES PARA O RECHEIO:

50 g manteiga
80 g açúcar amarelo
1 colher sopa canela
1 colher sopa farinha

PREPARAÇÃO:

Para a massa, colocar na máquina de fazer pão todos os ingredientes pela ordem acima descrita. A receita pede apenas 10 g de fermento mas eu, tal como a Patrícia [Coco & Baunilha], coloquei meio cubo e corre tudo na perfeição. Já experimentei tanto com açúcar amarelo como branco e ficou bom de ambas as formas. Escolher o programa Massa e deixar a trabalhar.

Terminado o programa, retirar a massa sobre uma superfície enfarinhada amassando ligeiramente apenas para retirar o ar, e estender com o rolo da massa. Numa taça misturar o açúcar com a canela e a farinha, tentando desfazer todos os grãos do açúcar com uma colher. Pincelar a massa com a manteiga derretida e logo de seguida polvilhar com o preparado da canela, cobrindo toda a superfície.

Enrolar, cortar em 9 partes iguais e colocar num tabuleiro, já previamente forrado com papel vegetal. Cada rolo deverá ser colocado com o corte virado para cima. Deixar levedar 20 minutos, pincelar com gema de ovo ou leite [eu escolhi a segunda opção] e depois levar ao forno pré-aquecido a 180º C por cerca de 25 a 30 minutos [deverão fazer o teste do palito].

Poderão cobri-los com um preparado de queijo-creme ou saboreá-los mesmo assim. O creme ainda não experimentei, ficará para uma próxima vez.




Fonte: Coco & Baunilha

sábado, 5 de outubro de 2013

Farturinhas



Estamos em Outubro e, para nós cá em casa este é "o mês da feira". É quando se realiza a Feira Anual de Artesanato em Vila Franca de Xira, pertíssimo de onde moramos. Gostamos de lá dar um pulinho e ver as várias tendas onde se vende de tudo um pouco... roupas e calçado, utensílios de cozinha, mobiliário, artigos de música entre outras coisas e as tão procuradas barraquinhas dos artesãos. Eu perco-me, pois claro, na banca de coisas para a cozinha e consigo encontrar de tudo um pouco, até mesmo colheres de pau e tachos gigantes destinados a fazer comida em doses industriais.

Há ainda as esperas e largadas de toiros para quem gosta de ver e sentir a adrenalina. As minhas meninas anseiam a cada minuto que cheguemos ao fundo da feira, que é onde estão os carrocéis e demais diversões. Normalmente preferem lambuzar-se com algodão doce ou porras bem carregadas de chocolate, mas há também as vezes em que preferem uma simples fartura ou churro.

Vejam o programa e apareçam, porque vale a pena.

E foi a lembrar a feira que há umas semanas atrás fiz estas Farturinhas que, não sendo iguais às originais, são igualmente boas. Fiz em dois formatos, como podem ver em cima e em baixo, e preferimos as redondas pois tornam-se mais fofas.


INGREDIENTES:

2,5 dl água
1/2 limão [casca]
100 g manteiga
1 pitada de sal
150 g farinha
4 ovos
Óleo q.b.
Açúcar e canela em pó q.b.


PREPARAÇÃO:

Colocar um tacho ao lume com a água, a casca de limão, a manteiga e o sal. Quando estiver a ferver juntar a farinha e mexer ao mesmo tempo, até que a massa se despegue do fundo do tacho. Retirar do lume, eliminar as cascas de limão e deixar amornar.

Passados alguns minutos adicionar os ovos, um a um, envolvendo bem. Passar a massa para um saco de pasteleiro munido de boquilha frisada. Formar tiras de massa e fritar em óleo bem quente. Retirar com uma escumadeira e escorrer sobre papel absorvente.

Envolver numa mistura de açúcar e canela e degustar, ainda mornas.

sábado, 28 de setembro de 2013

Diamantes de Baunilha



Cá em casa ganhou-se um hábito que eu gosto muito e já não prescindo, fazer bolachinhas ao fim de semana com as minhas pequenas ajudantes. Daqui a um ano ou dois também o meu pequeno príncipe irá meter a mão na massa e ajudar, e eu já estou ansiosa para ver.

A cozinha depois fica uma lástima, é verdade. Farinha por todos os lados, loiça e formas para lavar, crianças com restos de massa nas mãos. Mas os sorrisos de orelha a orelha e o empenho com que elas utilizam os cortadores, a ansiedade estampada nos seus rostos quando me vêm a montar o estaminé ou até mesmo quando se deliciam com as primeiras bolachas ainda mornas, tudo justifica os cerca de 30 minutos que depois levo a limpar e arrumar.

Inicialmente fazíamos só uma receita mas, como somos todos devoradores de bolachas e as latas em cerca de dois dias ficavam vazias, agora fazemos duas receitas. Até o pequenino come e, para mim como mãe, é um prazer e orgulho vê-lo deliciar-se e pedir por mais e mais.


Quanto a estas bolachas são crocantes, verdadeiramente viciantes e muito boas. E brilhantes devido ao açúcar em seu redor, penso que venha daí o nome "Diamantes". Para enrolar as bolachas optei por utilizar Açúcar Mascavado, dando-lhes um sabor e consistência fabulosos.

INGREDIENTES:

150 g manteiga meio sal [à temperatura ambiente]
100 g açúcar
1 vagem de baunilha [usei cerca de 5 gotas de Essência]
2 gemas
250 g farinha
Açúcar mascavado q.b.

PREPARAÇÃO:

Misturar a manteiga com o açúcar, a baunilha e 1 gema de ovo, envolvendo bem com a colher de pau ou com as mãos, se necessário. Juntar a farinha e voltar a envolver. Formar uma bola, dividir em duas partes iguais e transformar cada porção num rolo, que deverá ser enrolado em película aderente e depois colocado no frigorífico cerca de 30 minutos, para que possa endurecer.

Pincelar os rolos com a restante gema de ovo batida e envolver no açúcar mascavado, que poderá estar espalhado na bancada para ser mais fácil pois só será necessário rolar a massa para a frente e para trás. Cortar fatias com cerca de 5 mm, dispor num tabuleiro [previamente forrado com uma folha de papel vegetal] e levar ao forno pré-aquecido a 180º C, cerca de 12 a 15 minutos.

Logo que as bolachas estejam douradas devem ser retiradas do forno e colocadas em cima de qualquer superfície para arrefecer.



Esta é a Essência de Baunilha que costumo utilizar. Em tempos tive um frasco maior que me tinha saído mais barato, mas quando o utilizava em alguma receita nem se notava o aroma. Se a receita pedisse apenas umas gotinhas eu tinha de utilizar uma colher de sopa, se pretendia que fizesse algum efeito. Até que um dia optei por comprar este mini frasco numa dessas lojas de decoração de bolos. O preço foi um pouco mais elevado mas finalmente nos meus bolos e restantes doces destaca-se o maravilhoso aroma da Baunilha. Prova de que a qualidade também se paga.

Fonte: Coco & Baunilha

domingo, 22 de setembro de 2013

Batatas em Camadas


Por vezes acontece comigo aquilo que acredito que aconteça também nas outras casas, fico com a sensação que os acompanhamentos são sempre os mesmos. Ora arroz disto ou daquilo, ora massa neste formato ou naquele, batatas fritas ou cozidas... quando a inspiração falta ainda pior.

Então lembrei-me que um dia tinha visto uma receita com batatas algures no meu monte de livros e que me tinha interessado, restava agora saber em qual dos livros estava. Tarefa difícil a de procurar e, já quase a desistir, acabei por encontrar.

A fotografia muito apelativa, ao contrário das minhas que não mostram a delícia que fica esta variação da batata, fez-me ficar rendida à combinação de ingredientes e acabei por me surpreender positivamente. Assim, com este acompanhamento que sabe tão bem saborear ainda quente, dou as boas vindas ao Outono que nos brinda hoje.

Adoro o Outono e, sabendo que se está a aproximar, um misto de alegria / nostalgia apodera-se de mim. Gosto das folhas de várias cores que teimam em cair e cobrir as nossas ruas, gosto da necessidade de vestir roupas quentes e aconchegantes ou pantufas ou de colocar mais cobertores na cama, gosto de ir pela rua e sentir o agradável cheiro de castanhas a assarem, gosto de observar tempestades da janela da minha casa e ouvir a chuva a cair lá fora, gosto de ter pretextos para utilizar o forno, ... Para mim, tudo é maravilhoso no Outono, a minha estação do ano favorita.

INGREDIENTES:

2 cebolas
2 colheres sopa margarina
1 colher café tomilho
8 batatas grandes
4 dl natas
Sal e noz-moscada q.b.

PREPARAÇÃO:

Ligar o forno para que esteja bem quente na hora de cozer. Numa frigideira alourar as cebolas em rodelas na margarina e polvilhar com o tomilho, em lume brando e cerca de 5 minutos. Descascar as batatas, lavar e cortar em rodelas finas.

Num recipiente untado com margarina dispor uma camada de batatas, polvilhar com sal fino e uns pózinhos de noz-moscada, dispor uma camada de cebola, regar com um pouco de natas e voltar a repetir o processo, sendo que a última camada deverá ser de batata.

Tapar com uma folha de papel de alumínio e levar ao forno entre 40 e 60 minutos em temperatura bastante alta, para que as batatas amoleçam. Findo esse tempo deve-se destapar e deixar mais alguns minutos, para que ganhem cor. Servir de seguida, mas com cuidado para não se queimarem.


domingo, 15 de setembro de 2013

Arroz Doce com Leite Condensado



O melhor que já fiz até hoje. Quem me conhece ou quem já se dedicou a ler alguns posts deste blog, saberá que durante alguns anos me deparei com dificuldade em fazer e acertar um bom Arroz Doce. Quando apanhei o jeito já não havia nada a enganar, um ou outro ingrediente que varia consoante a receita, mas no fundo todas têm a mesma base.

Para mim destaca-se o facto de utilizar sempre açúcar amarelo porque faz diferença tanto no sabor como na cor. E a primeira taça é sempre servida morna, que é como esta sobremesa sabe melhor a todos cá em casa. Não há estação do ano onde se possa enquadrar melhor do que noutra, talvez por isso seja a sobremesa mais repetida cá em casa porque, seja em que altura for, sabe sempre bem. E claro, na mesa de Natal nunca falta.

Haverão com certeza muitos a questionar-se se com Leite Condensado não ficará muito doce, eu própria também pensei isso. A verdade é que não, fica maravilhosamente cremoso e docinho como se quer. Experimentem e depois digam-me o que acharam porque, para mim, arrebatou todas as receitas de Arroz Doce que tenha feito até então.



INGREDIENTES:

1 l água
1 pitada sal
1 casca de limão
1 pau de canela
1 l leite
120 g açúcar
300 g arroz carolino
5 gemas
1 lata leite condensado
Canela em pó q.b.

PREPARAÇÃO:

Levar ao lume um tacho com a água e o sal, a casca de limão e o pau de canela. Deverá levantar fervura, em lume médio, enquanto à parte se deverá ferver o leite com o açúcar, devendo colocar no seu interior uma colher de pau para que o leite não transborde.

Na água já fervida acrescentar o arroz, mexendo de vez em quando. Conforme a água for evaporando deverá adicionar-se o leite, pouco a pouco. Numa tigela à parte bater as gemas com o leite condensado. Tirar do lume o tacho com o arroz, remover a casca de limão e o pau de canela e juntar o preparado das gemas.

Não será necessário levar novamente ao lume, podendo distribuir-se de imediato num pirex ou em várias taças. No momento de servir poderá polvilhar-se com canela em pó a gosto.


sábado, 7 de setembro de 2013

Empada de Frango


Estava eu entretida na cozinha a fazer esta Empada, que veio a revelar-se maravilhosa, quando entra a Beatriz e, espantada a olhar para a flor no topo, exclamou "Uau mãe, és uma óptima cozinhadora". E são elogios destes dos nossos pequenos que nos incentivam a continuar e nos fazem acreditar que todo o empenho vale a pena.

Eu tenho um outro blog que não está aberto ao público, que é o meu livro de rascunhos com todas as receitas que fui recolhendo pela Internet e que pretendo colocar em prática um dia. Estão lá dezenas delas a aguardar pela sua vez, e é lá que muitas vezes vou buscar ideias quando a inspiração me falta. Foi o caso desta Empada de Frango, que me ajudou na necessidade de aproveitar uns restos de frango urgentemente.

Quem diz frango diz também outro tipo de carne, seja "nova" ou que esteja a sobrar. Eu não untei a forma pois já sei que a massa folhada raramente pega. Na pressa de ter tudo feito esqueci-me completamente de inserir os ovos, mas a verdade é que não se notou nada que estava a faltar algo.


 INGREDIENTES:

2 placas massa folhada
350 g frango cozinhado
1 cebola
2 dentes alho
1 cenoura
Azeite q.b.
100 ml vinho branco
1 colher sopa molho de soja
Sal e noz-moscada q.b.
2 gemas de ovo
1 ovo para pincelar

PREPARAÇÃO:

Fazer um refogado com a cebola e o alho picados, a cenoura ralada e o azeite. Juntar o frango desfiado, o vinho e o molho de soja [este último dispensei] e temperar a gosto. Eu juntei ainda umas salsichas em rodelas, uma vez que o frango de que dispunha não chegava às 350 g necessárias.

Juntar as gemas batidas em fio e cozinhar por 2 ou 3 minutos. Deixar arrefecer enquanto se estende a massa folhada. Numa forma de aro amovível, ou anti-aderente como foi o meu caso, dispor uma placa de massa, colocar o recheio já frio e cobrir com a outra placa. Dobrar as pontas, brincar um pouco a criar efeitos e, finalmente, pincelar com ovo batido. Levar ao forno pré-aquecido a 180º C, o tempo suficiente até a Empada estar cozinhada e dourada a gosto.



Fonte: Mesa Para 4

domingo, 25 de agosto de 2013

Bolo Arco íris - 11 anos da Patrícia



Em tempos eu andava fascinada pelos bolos decorados com pasta de açúcar, pelo facto de poder transportar para um simples bolo a personalidade e características de uma pessoa, e aproveitava cada festa de Aniversário para os fazer. Todos eles foram destacados aqui, tendo consciência que nunca foi atingido o patamar da perfeição, mas sendo um orgulho para mim e podendo verificar alguma evolução positiva.

É preciso ter-se gosto por os fazer, porque a verdade é que nos consome muito tempo e paciência. Tempo esse que, com 3 filhotes em casa, inevitavelmente escasseia. A decoração com pasta de açúcar foi sendo involuntariamente posta de lado, não ficando de todo esquecida. Os utensílios próprios continuam a ter o seu lugar reservado, ainda sobram algumas massas que irão ser consumidas antes que termine o prazo, mas para já este passatempo ficará em stand by.

Actualmente a minha perdição são os bolos decorados da forma tradicional, e a verdade é que se pode fazer bolos lindíssimos com ingredientes habituais que costumamos ter por casa. Um chantilly com corantes e aromas, um chocolate derretido que pode fazer contraste com outras cores, caramelo líquido que depois de arrefecido ganhou formas... há um sem fim de ideias fantásticas e que eu pretendo pôr em prática.

Comecei a praticar esta minha nova adoração com este Bolo Arco Íris que encontrei no blog da Marina, que já se tornou mais que uma simples companheira de blogs. O momento certo foi a festa de 11º aniversário da minha filha mais crescida que, mais do que eu, ficou deliciada com o bolo. Por fora já estava bonito, quando o cortei abriram-se bocas de espanto. Como fizeste? Como conseguiste? Deu muito trabalho, não deu? Deu um pouco sim, mas tudo se consegue alcançar quando é feito com carinho.


INGREDIENTES PARA O BOLO:

226 g manteiga à temperatura ambiente
463 g açúcar
5 claras
2 colheres chá essência de baunilha
426 g farinha
4 colheres chá fermento em pó
1/2 colher chá sal
3,5 dl leite
Corantes em gel nas cores: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul e roxo

INGREDIENTES PARA O RECHEIO E COBERTURA:

250 g manteiga
300 g queijo creme
160 g açúcar em pó
2 dl natas

PREPARAÇÃO:

Pré aquecer o forno a 175º C e untar uma forma de 22 cm de diâmetro com margarina e farinha.

Juntar a manteiga com o açúcar, as claras uma a uma e sem estarem batidas em castelo, e a essência de baunilha. Incorporar o leite intercalado com a farinha, previamente peneirada com o sal e o fermento.

Pesar a massa e dividir em seis partes iguais, colocando cada preparado em tigelas para adicionar o respectivo corante. Levar cada massa ao forno cerca de 15 minutos ou menos, deverão tomar atenção pois, uma vez que a quantidade é reduzida, coze muito rapidamente. Deixar os bolos arrefecer, enquanto se prepara o recheio e cobertura.

Bater a manteiga com o queijo creme e o açúcar em pó. À parte bater as natas firmemente e envolvem-se na mistura anterior, suavemente e de preferência com o auxílio de uma espátula.

No prato de servir deverá colocar-se a primeira rodela e rechear, continuando este processo com as restantes cores. Composto o bolo só falta cobri-lo na sua totalidade, não deixando nenhum espaço ou buraco por cobrir. Enfeitar com confetis alimentares a gosto.


OBSERVAÇÕES:

- vou contar um segredo, eu nunca peneiro a farinha em bolo algum, e a verdade é que nunca tive qualquer problema com isso

- o ideal é utilizar mais que uma forma, eu na altura só tinha uma e por isso o processo foi muito mais demorado, acabando por me tirar alguma paciência e desistindo assim de uma das cores, como podem ver pelas fotos

- é importante manter o creme sempre o mais fresco possível, para que a tarefa de barrar se torne mais fácil

- poderão utilizar estas cores sugeridas ou outras que pretenderem, assim como fica ao critério de cada um a quantidade utilizada e a respectiva ordem

 - se barrarem o bolo ainda morno tornar-se-á complicada a tarefa de barrar, pois o creme perde a consistência e começa a escorregar. O ideal é como fez a Marina e eu adoptei a ideia, congelar o bolo e proceder à montagem com as rodelas ainda congeladas

Não deixem de experimentar por achar que será complicado ou elaborado demais. O fantástico resultado final vale sempre a pena. E depois, com os elogios que com certeza vão receber, ficarão com vontade de voltar à cozinha para fazer mais. O creme de queijo é absolutamente fantástico e combina na perfeição com o sabor abaunilhado do bolo.  Bonito e saboroso, dois requisitos importantes para um bolo ter sucesso!!


Fonte: Cabeças-de-alho-chocho

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Coxas de Frango na Actifry


Para quem ainda não conhece, a Actifry é a máquina que frita praticamente sem gordura. Ao invés de se ter uma cuba cheia de óleo, basta uma colher-medida de qualquer gordura, normalmente utilizo azeite por ser mais saudável e conferir melhor sabor à comida. Quando faço batatas fritas, o papel absorvente onde as disponho fica praticamente seco. Esta máquina de cozinha é bastante versátil, podendo não só fritar batatas como também cozinhar outras comidas.

Exemplo disso são estas Coxinhas de Frango que costumo comprar embaladas no Lidl e agradam os comensais cá de casa. As coxas são a minha parte favorita do frango, pelo que gosto muito deste prato. Para juntar o útil ao agradável é bastante simples de fazer, bastando colocá-las na Actifry, uns condimentos aqui e ali e liga-se.

INGREDIENTES:

Coxas de frango
Sal q.b.
Alho em pó q.b.
Pimentão doce q.b.
Louro q.b.
Azeite q.b.

PREPARAÇÃO:

Colocar as Coxas na cuba da Actifry, sem a pá, e temperar com sal grosso e os vários condimentos (fica ao gosto de cada um). Regar com uma colher medidora de azeite e cozinhar por 20 minutos. Findo o tempo virar as coxas e cozinhar por mais 15 a 20 minutos. Servir com o que apetecer no momento, no meu caso foi com esparguete e uma salada de tomate.



quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Mousse Tang de Morango


É impressionante, tantos meses sem cá passar  e agora com este regresso anseio a hora de vir fazer nova postagem. Enquanto escrevo faço contas na cabeça à quantidade de receitas que já pesquei do blog da Samma. É dos blogs que mais se adequa à nossa composição familiar. São também 4 bocas à mesa [no meu caso por enquanto, pois não tarda também o pequenito nos fará companhia], tal como eu também a Samma faz muitas comidas em tabuleiro para depois levar ao forno e temos as duas predilecção pelas estações mais frias. O cheiro da terra molhada, as cores outonais, tudo nos agrada.

Esta receita já tinha sido resgatada há anos, mas só agora se proporcionou colocá-la em prática. Uns pacotinhos de Tang que foram comprados numa qualquer promoção, retira-se um para esta Mousse e os restantes ficam para fazer sumo para as meninas que tanto pedem.

A Mousse, ah a Mousse. Simplesmente fantástica e quanto mais fresca melhor. Aconcheguem-se e fechem os olhos por breves instantes, conseguem imaginar o sabor dos batidos de morango bem frescos e saborosos da nossa infância? Pronto, é isso. Não deixem de experimentar.

INGREDIENTES:

2 pacotes natas frescas
1 pacote Tang [sabor à escolha]
1 lata leite condensado
2,5 dl leite

PREPARAÇÃO:

Bater as natas em chantilly [utilizo sempre o truque de as colocar alguns minutos antes no congelador para montarem mais rapidamente]. Adicionar o leite condensado até estar tudo bem ligado.

Numa taça à parte dissolver o preparado de Tang com o leite, que deverá estar frio. Juntar ao preparado das natas e envolver tudo energicamente com uma vara de arames ou batedeira ou liquidificador. Colocar no frigorífico, de preferência de um dia para o outro.



 Fonte: Mesa para 4